sábado, 6 de março de 2010

Infantilices nº2 - Era uma vez, uma garoto igual a vocês...

Com o "sucesso" do primeiro post (nesse blog tão acessado, 6 comentários é recorde), trago mais uma memória de infância.

Todos reclamam de conteúdo nos programas infantis nacionais.
Tirando os realizados pela TV Cultura, pouco se fez para o ensino e o desenvolvimento do lúdico para crianças. A TVE fez sua parte, com muita propriedade na década de 80. E um dos mais memoráveis também passou pela Bandeirantes, sob a batuta do mesmo maestro: Daniel Azulay.

Mágica, desenho, brincadeiras e histórias de toda uma turma eram mostrados no programa deste highlander da TV (imortal pela lembrança e por não envelhecer - quem o vê hoje, não diz que o tempo passou).

Lembro das tardes de uma infância distante, em que o lápis de Azulay se juntava com as não menos cultuadas 'Mãos Mãgicas' e estimulavam a criatividade. Nem sempre tínhamos o material ou o jeito para a arte proposta, mas a imaginação ia longe.

A minha memória afetiva traz dois destaques: a alegria na época de ser um pouco xará do artista, mesmo que de segundo nome, e um disco da Turma do Lambe-Lambe, que sempre rodava em minha vitrola.


Não consegui muitos registros do programa. Quem procurar no Youtube, vai ver dois momentos clássicos: a presença de uma mágico e o quadro "Pincel Mágico". Deixo aqui apenas o link da chegada do Papai Noel no Maracanã em 1987, com a presença de Daniel e sua turma. A primeira música, um clássico do artista e da minha infanto-jukebox: http://www.youtube.com/watch?v=QjAYUOT8IQc (não tem incorporação pra colocar aqui).

Alô, alô, turma de casa... Algodão doce pra vocês!

3 comentários:

Sr. Armando Pedreira disse...

Po, pior que eu gostava do Azulay... hehehhe! Principalmente dos "oculões" dele! Hehehe! Abraços.

Anna disse...

"Lembro das tardes de uma infância distante, em que o lápis de Azulay se juntava com as não menos cultuadas 'Mãos Mãgicas' e estimulavam a criatividade. Nem sempre tínhamos o material ou o jeito para a arte proposta, mas a imaginação ia longe."
*****************************
Não lembro desse programa aí não, mas vc descreveu de um jeito poético! Adorei!

Boo disse...

eu tenho esse disco...

eu tenho medo da cabeça da Damiana...